Luana Vianez Moreira

Luana Vianez Moreira

 

CRP: 1493
Email: luanavianez@hotmail.com

Psicóloga, Mestre em Psicologia, Formação em EMDR e Brainspotting.

 

Meu trabalho psicoterápico atende a qualquer pessoa que se sinta momentaneamente impedida de viver sua vida plenamente, seja por um fato que aconteceu no passado e que ainda a perturba, seja por uma experiência recente com a qual não está conseguindo lidar. Incluem-se situações perdas afetivas, problemas de relacionamento (afetivo, profissional ou familiar), experiências como assaltos e sequestros, questões relativas à espiritualidade, bem como para o aprimoramento de desempenho.  São situações de vida que podem apresentar sintomas que causam grande sofrimento, como: ansiedade, angústia, dificuldade de dormir ou sono exagerado, vícios,  depressão, ganho ou perda de peso, medos (fobias), dores físicas diversas, ataques de pânico, doenças crônicas, pensamentos obsessivos ou outras dificuldades.

Sobre o EMDR

O que significa o EMDR?

EMDR é uma sigla em inglês que significa Eye Movement Desensitization and Reprocessing, que foi traduzido para o português como Dessensibilização e Reprocessamento por meio dos Movimentos Oculares.

O que é EMDR?

O EMDR é uma nova forma de psicoterapia desenvolvida nos estados Unidos no final dos anos 80 pela Psicóloga Francine Shapiro. É fundamentada nas novas descobertas da neurociência. Ele permite o reprocessamento de lembranças difíceis e dolorosas através da integração do conteúdo neuronal em diferentes hemisférios cerebrais.

Com a Terapia EMDR é possível Dessensibilizar a intensidade da emoção sentida durante a recordação de um evento traumático e Reprocessar as memórias dos eventos traumáticos que não passaram pelo processo requerido em tempo real.

Essa terapia é reconhecida?

A Terapia EMDR foi aprovada pelo NREPP – National Registry of Evidence-Based Programs and Practices que faz parte do Substance Abuse & Mental Health Services Administration do U.S. Departament of Health and Human Services, que é a mais alta qualificação possível para o reconhecimento da validação científica de uma abordagem psicoterapêutica. Além de aprovado pelos departamentos de saúde Mental de Israel, Irlanda do Norte, Inglaterra, França e Suécia. Atualmente a Terapia EMDR é indicada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para o tratamento de TEPT (Transtorno de Estresse Pós Traumático).

Em que tipos de situações a Terapia EMDR é útil?

Originalmente o método foi desenvolvido para tratar eventos pós traumáticos de veteranos de guerra americanos que lidavam com memórias traumáticas após a Guerra do Vietnam, mas com o tempo ampliarem-se as possibilidades de intervenção para:

• Quadros resultantes de ansiedade generalizada, síndrome de pânico, depressão;
• Eventos traumáticos como abuso sexual, espancamento, acidentes automobilísticos, assaltos, sequestros, morte de um ente querido;
• Crises da vida, tais como: traição, divórcio, desemprego, trauma de aborto, enchente…
• Mudança de padrões comportamentais repetitivos, tais como: dificuldade de estabelecer relacionamentos íntimos, tomadas de decisões equivocadas e recorrentes, ataques de raiva…
• Ansiedade e fobias, tais como: medo de falar em público, ansiedade de desempenho, ansiedade de dirigir, medo de animais, de voar de avião, de dentista, de elevador, de agulhas, exames, médicos, etc.;
• Também temos obtido resultados promissores com doenças psicossomáticas.

Para quais idades a Terapia EMDR seria apropriada?

A Terapia EMDR pode ser usada em pessoas de qualquer idade. Se constatou que o tratamento com crianças funciona ainda mais rápido do que nos adultos. Em idade precoce, o tratamento é realizado na presença dos pais.

E, ninguém é velho demais para a Terapia EMDR, desde que o indivíduo tenha habilidade para lidar com suas dificuldades.

Em que a Terapia EMDR difere dos outros métodos psicológicos?
Primeiramente, comparado a outros métodos tradicionais, normalmente apresenta maior eficácia, pois alcançamos melhores resultados ou resultados equivalentes em menos tempo.

Em segundo lugar, o modo de definir o problema, a possibilidade de trata-lo e o foco da terapia são diferentes de todas as outras formas de psicoterapia.

Na Terapia EMDR localizamos as memórias traumáticas que são responsáveis por nosso estresse atual e depois começamos a reprocessa-las com o uso da estimulação bilateralizada visual, auditiva ou tátil. Uma vez que o evento tenha sido reprocessado, novos eventos presentes não servirão como disparadores para os mesmos sentimentos que foram vividos no passado.

De acordo com as suposições básicas da terapia, quando o reprocessamento houver terminado, os sintomas das crenças negativas ou de emoções negativas internas que levam a sentimentos negativos desaparecerão.

Na Terapia EMDR, não oferecemos ferramentas para lidar com o problema, mas, em vez disso, removemos o problema. Quando o problema é removido, os sintomas deixam de existir.

Sobre o Brainspotting

O que é o Braisnpotting?

O Brainspotting é um método de tratamento focalizado, forte e poderoso que funciona ao identificar, processar e liberar as fontes neuropsicológicas de dor física/emocional, trauma, dissociação e uma variedade de outros sintomas desafiadores.

Pode também ser entendido como uma forma simultânea de diagnóstico e tratamento. Apesar de os efeitos terapêuticos serem intensificados com o som bilateralizado, o Brainspotting oferece ao paciente um senso de contenção e controle.

O Brainspotting funciona como uma ferramenta neurobiológica de apoio na relação terapêutica. Não existe substituto para a presença terapêutica, acolhedora e madura, com capacidade de incentivar o paciente em sofrimento a investir numa relação segura de confiança na qual se sinta ouvido, aceito e entendido.

O Brainspotting oferece uma ferramenta auxiliar dentro da relação clínica para que se possam localizar, enfocar, processar e liberar experiências e sintomas que normalmente estão fora do alcance da mente consciente do paciente, de sua capacidade cognitiva e, até mesmo, sua capacidade linguística.

Este método atua em áreas profundas e primitivas do cérebro, permitindo acesso direto aos sistemas autônomos e límbicos do sistema nervoso central.

Essa focalização ativa no paciente reações adaptativas de equilíbrio e sobrevivência em relação aos temas trabalhados. Trata-se de um instrumento/tratamento com consequências positivas e ecológicas nos níveis psicológico, emocional e físico.

 

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: